MOFO

Dentre os principais causadores do mofo, estão a umidade e a falta de ventilação, ou seja o ambiente fica ainda mais propenso ao desenvolvimento de manchas nas paredes, prejudicando de forma grave a saúde respiratória.

Muito além de agravar os sintomas e quadro de saúde de quem já sofre com doenças respiratórias, como rinite, sinusite, bronquite e asma, o mofo é capaz também de causar reações alérgicas, pulmonares e oftalmológicas.

Resumidamente, o mofo é composto pela formação de microrganismos minúsculos (que não são vistos a olho nu) e se multiplicam rapidamente em espaços escuros, úmidos e pouco arejados.

O mofo, possui partículas e esporos que ficam no ar e que podem ser inalados por qualquer pessoa que esteja no ambiente afetado.

A longa exposição ao mofo, pode causar situações mais severas, como a pneumonite de hipersensibilidade, que exige um tratamento adequado e específico.

Móveis estragados também podem ser prejudiciais à saúde

A umidade, juntamente com a variação constante de temperaturas, favorece de forma significativa para o surgimento do mofo, tanto na parte interna quanto externa dos móveis.

O inverno, é considerado o período em que o mofo mais se prolifera, isso devido a diminuição da temperatura, que fazem com que as pessoas mantenham as portas e janelas fechadas.

É importante salientar que, é extremamente saudável deixar ao menos uma janela aberta, para que o ar possa circular.

Manter abertas portas de armários e guarda-roupas, é necessário para que seja ventilado e receba um pouco de luz natural.

É indicado colocar roupas, lençóis e cobertores expostos ao sol.

Uma das melhores alternativas para se livrar de vez do mofo, é manter o ambiente sempre limpo, seco e arejado.

É importante destacar que adquirir hábitos de limpeza periódica nas paredes, no teto e nos móveis, é essencial, pois a poeira e o mofo podem ser muito mais nocivos do que imaginamos.

A formação do mofo, é mais comum em locais que hajam pouca luz e muita umidade, geralmente atrás de armários, guarda-roupas, estantes e debaixo da cama.

Sintomas causados pelo mofo

Ao respirar um ar repleto de esporos de mofo, é evidente que o sistema imunológico reaja através de tosses, espirros, falta de ar, coceiras e obstruções nasais.

Outro sintoma que normalmente não costuma se desenvolver, é a rinoconjuntivite, que afeta os olhos, deixando-os vermelhos e lacrimejados, onde em alguns casos, podem acarretar em inchaços.

Como evitar o mofo

A principal solução, é manter a circulação do ar constante, assim como acondicionar portas e janelas abertas (mesmo em períodos chuvosos e de frio), somente assim o mofo não conseguirá de propagar.

Em locais úmidos, como banheiros, cozinhas e lavanderia, realizar a limpeza contínua com determinados produtos e desinfetantes específicos, é fundamental.

Ao notar que existe manchas, umidade e mofos em paredes ou no teto, há a possibilidade de haver um vazamento na estrutura hidráulica. E POR ISO chame um especialista em Caça Vazamentos.

Portanto, após seguir as recomendações deste artigo, procure por empresas especializadas no assunto, para que possam solucionar o problema (caso haja de fato vazamentos), antes que a situação se torne ainda pior.